PIB cai pelo segundo trimestre seguido, e Brasil entra em recessão técnica

O PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro registrou queda pelo segundo trimestre consecutivo, e o Brasil entra, assim, na chamada “recessão técnica”. Segundo dados divulgados pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, a queda foi de 0,1% em relação ao segundo trimestre.

Por definição, um país entra em recessão técnica quando há dois trimestres seguidos de queda. Ela é um sinal de alerta econômico. O cenário mais preocupante, de acordo com especialistas, é quando esse encolhimento da economia, com redução da produção, estende-se por um período prolongado e afeta vários setores econômicos.

O IBGE também revisou o resultado do segundo trimestre, que passou de -0,1% para -0,4%. A última recessão no país havia sido em 2020, quando o PIB caiu 2,3% no primeiro trimestre e 8,9% no segundo, fortemente impactado pela pandemia.

A expectativa de analistas ouvidos pela agência de notícias Reuters era de estabilidade da economia no terceiro trimestre deste ano. Em relação ao terceiro trimestre de 2020, o PIB apresentou expansão de 4%, contra expectativa de alta de 4,2%.

De acordo com o IBGE, o PIB está no patamar do fim de 2019 e início de 2020, período pré-pandemia, e 3,4% abaixo do ponto mais alto da atividade econômica na série histórica, alcançado no primeiro trimestre de 2014.

Apesar da alta nos serviços, que respondem por mais de 70% do PIB, o setor que mais colaborou com a queda da economia foi a agropecuária, que encolheu 8% em relação ao segundo trimestre e 9% na comparação com o mesmo trimestre do ano passado.

A indústria ficou estável em relação ao segundo trimestre e cresceu 1,3% em um ano. Entre suas atividades, a construção civil apresentou o melhor resultado, confirmado pelo aumento do emprego nessa atividade.

( * ) Com informações da Reuters e do UOL

Compartilhe: