PERU: Estudo de Oportunidades para Empresas Brasileiras de Móveis com Potencial e Exportadoras

Em nossa volta ao mundo através dos mercados-alvos do Projeto Setorial Brazilian Furniture, já falamos sobre grandes potências econômicas, como os Estados Unidos, o Reino Unido e a Alemanha. Agora, no entanto, é hora de olharmos para nossos arredores, destacando oportunidades para a indústria brasileira de móveis aqui mesmo na América do Sul. Conheça hoje um pouco mais sobre o mercado moveleiro no Peru, um dos principais destinos dos móveis brasileiros no exterior, figurando entre os cinco maiores parceiros comerciais do setor em 2021.

Considerada a 49ª maior economia do mundo e sexta maior na América Latina, o Peru localiza-se no oeste da América do Sul e faz fronteira com países como o Brasil, Equador, Colômbia, Chile e Bolívia. 

As informações são do Estudo de Oportunidades para Empresas com Potencial e Exportadoras – Edição Peru”, desenvolvido pelo IEMI – Inteligência de Mercado com exclusividade para os associados do Projeto Brazilian Furniture. Parte de uma série de relatórios de inteligência comercial e competitiva organizadas pela ABIMÓVEL e pela a ApexBrasil, o estudo tem por referência dados estatísticos atualizados e projetados a partir de consultas a uma extensa lista de fontes oficiais, nacionais e internacionais.


Logística

Devido à sua localização geográfica, a infraestrutura logística do país é uma das principais preocupações na economia local. O Peru enfrenta, contudo, um atraso em infraestrutura, situação que gera consequências consideráveis. Dentre elas podemos destacar o comprometimento das relações comerciais (importação e exportação) e o elevado custo logístico. 

Segundo informações disponibilizadas pelo CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina), o Peru vem implementando, no entanto, planos que visam atenuar o déficit na infraestrutura logística por meio de ações como o Plano de Reordenamento de Trânsito para o acesso ao porto de Callao — terceiro maior na América Latina. Projeto que, implementado em 2019, já vem possibilitando a redução do tempo de entrada do transporte de cargas no país. 

Uma vez constatado o sucesso de sua implementação, o Peru planeja criar alternativas que visam organizar o translado de cargas não só no porto de Callao, mas em outros pontos estratégicos para a atividade logística.

No que diz respeito ao transporte marítimo, modal, que merece destaque, o Peru está localizado numa região estratégica. Ocupando uma posição central frente aos países que compõem a Aliança do Pacífico, além de ser um meio de escoamento para a produção do Brasil que tem a Ásia como destino. 

Dimensão da produção peruana de móveis

A produção de móveis no Peru foi tradicionalmente direcionada para o mercado externo, em especial para os Estados Unidos. A indústria moveleira no país, em sua totalidade, é composta por micro e pequenas empresas, as quais totalizam 97,6% delas. As médias representam apenas 2%, e o restante são empresas de grande porte.

Na produção prevalece o trabalho manual artesanal na maior parte realizado por micro e pequenos produtores. Por conta dessa característica, há certa limitação em termos de competitividade, quando comparado a produtos que envolvem maior tecnologia e industrialização em sua produção, o que pode vir a ser uma lacuna a ser ocupada pelo mobiliário brasileiro.

Evolução da produção de móveis e colchões

Em 2020, a produção de móveis e colchões do Peru foi de aproximadamente US$ 557,8 milhões de

faturamento, situação que espelha uma queda de 10% em suas receitas (em dólares americanos), quando comparado com 2016.

Já quando falamos no consumo de móveis no país, este foi de  US$ 686,7 milhões (valores sell-in) em 2020, números que simbolizam uma queda de 12,1% no intervalo de 2016 a 2020. 

Oportunidades e peculiaridades para os móveis brasileiros no mercado peruano

Considerando as informações expostas acima, entende-se que o Peru é um mercado atraente para empresas brasileiras mais experientes e que tenham interesse em ampliar sua atuação em outros mercados. Vale ressaltar, contudo, que o mercado moveleiro do Peru possui uma baixa penetração para produtos importados, de cerca de 21,7%, sendo majoritariamente suprido pela produção nacional. 

Sendo assim, para as empresas brasileiras que desejarem acessar ou ampliar sua atuação no mercado peruano, é aconselhado que tenham um mix de produtos diversificado e atraente, pois o grau de competitividade com os produtos nacionais será maior. 

Pondera-se, contudo, que, embora o nível de penetração dos móveis importados seja baixo no Peru, o Brasil ocupa a segunda posição entre os principais fornecedores da área para o país, com uma participação de 23,6% do total. Ficando, dessa forma, atrás apenas da China, país que representa mais da metade do mercado de importados. 

PROJETO SETORIAL BRAZILIAN FURNITURE

O Projeto Setorial Brazilian Furniture é uma iniciativa da ABIMÓVEL – Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário e da ApexBrasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, que tem por objetivo incrementar a participação da indústria brasileira no mercado internacional por meio de um conjunto de ações estratégicas tendo como base os pilares da sustentabilidade, competitividade e do design integrado à indústria, voltados para o mercado global. 

O projeto conta com a participação de mais de uma centena de empresas que possuem acesso a informações de Inteligência Comercial e Competitiva, Feiras e Missões Internacionais, Projetos Comprador e Vendedor, Projeto Imagem, Programa de Design Integrado à Indústria, entre outras inúmeras atividades no exterior.

– Promoção de Exportações e Investimentos

– Acesso exclusivo a informações e dados de Inteligência Comercial

– Agrega valor ao seu negócio

Saiba mais sobre o projeto e como fazer parte de nossas ações em brazilianfurniture.org.br.

 

MÓVEIS: O NOSSO NEGÓCIO!

Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário – ABIMÓVEL

Imprensa: press@abimovel.com

 

Compartilhe: