industrias-de-moveis-fizeram-negocios-em-dubai_14_2338.jpg
26 mai

INDÚSTRIAS DE MÓVEIS FIZERAM NEGÓCIOS EM DUBAI

Candida Cervieri em entrevista para a ANBA: Empresas brasileiras participaram da Index, feira do segmento mobiliário do emirado, na semana passada, e saíram de lá com perspectiva de vender US$ 5,7 milhões nos próximos 12 meses. Exportações de US$ 698 mil foram fechadas no local. Um grupo com 18 empresas brasileiras fabricantes de móveis participou da Index, feira do setor que ocorreu em Dubai na última semana, e alinhavou US$ 5,7 milhões em negócios. O valor se refere a vendas que devem surgir nos próximos doze meses em decorrência dos contatos feitos na mostra. Durante a exposição, que durou de terça-feira (19) a quinta-feira (21), foram fechadas exportações de US$ 698 mil. As informações foram dadas à ANBA pela diretora-executiva da Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimóvel), Cândida Cervieri. A Abimóvel leva adiante, juntamente com a Agência Brasileira de Promoção das Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o projeto Brazilian Furniture, de promoção dos móveis brasileiros no mercado externo. A participação na Index Dubai acontece por meio deste projeto. As companhias brasileiras fizeram 1.649 contatos com importadores de países como Emirados Árabes Unidos, Índia, Inglaterra, Nigéria, Arábia Saudita, Catar, Omã, Egito, Líbano, Paquistão, Alemanha, Kuwait e Bahrein. Cervieri conta que os empresários esperavam mais africanos e sentiram que a edição deste ano teve volume menor de público em relação ao ano passado. "Porém, elas acharam que havia um público qualificado", afirma a diretora executiva. Cervieri acredita que a redução de visitantes reflete momento mundial atual, de desaquecimento. "Essa retração mundial está afetando as companhias que vão à feira", disse. A projeção feita pela Abimóvel para negócios nesta Index era maior, de US$ 1,5 milhão em contratos imediatos, a serem realizados na própria mostra, e US$ 6,5 milhões nos 12 meses seguintes, segundo material divulgado previamente ao evento. Mesmo assim, houve um grande interesse das empresas pela Index. Tanto que o número de expositoras foi maior do que na edição de 2014, quando participaram 14 companhias. "O mercado árabe é uma porta de entrada para outros mercados", afirma Cervieri. Cerca de 30% das empresas brasileiras que foram à Index Dubai o fizeram pela primeira vez. O grupo que participou da mostra foi composto pelas marcas Artesanato, BRV Móveis, Butzke, By Poli, Carraro, Cristais São Marcos, Multimóveis, MZ Artes, Politorno Móveis, Móveis Kappesberg, Rotta Móveis, Saccaro, Santo Andirá, Telasul, Tora Brasil, Unicasa, Valéria Totti e Vamol. Segundo a diretora-executiva da Abimóvel, participaram tanto marcas do segmento de luxo como de móveis populares e de nível médio. Estas últimas, segundo ela, tiveram procura por projetos de grandes condomínios sustentáveis. Fonte: Isaura Daniel - Agência de Notícias Brasil Confira a matéira


ibá - indústria brasileira de árvores
sebrae
sistema fiep
cni - confederação nacional da indústria
brasilian furniture
apexbrasil
ministérios das relações exteriores
pátria amada brasil