conjuntura-de-moveis-de-novembro-esta-disponivel-na-area-visivel-do-site_14_2817.jpg
25 nov

CONJUNTURA DE MÓVEIS DE NOVEMBRO ESTÁ DISPONÍVEL NA ÁREA VISÍVEL DO SITE

Os relatórios mensais intitulados CONJUNTURA E COMÉRCIO EXTERNO DO SETOR DE MÓVEIS foram concebidos para facilitar o monitoramento da ABIMÓVEL, sobre o desempenho do mercado de móveis no Brasil.



No capítulo CONJUNTURA, são examinados mensalmente os percentuais de evolução da produção física, do pessoal ocupado, média salarial, produtividade do setor, importações e exportações, vendas do varejo de móveis e inflação, acompanhados de gráficos representativos dessa evolução, conforme os últimos dados disponíveis nas diferentes fontes consultadas.



No capítulo DETALHAMENTO DO COMÉRCIO EXTERNO, os indicadores de importação e exportação são tratados de forma aprofundada, possibilitando a comparação dos resultados apurados em volumes e valores, por famílias de produto. Descreve, ainda, os resultados obtidos por países de origem e destino, estados importadores e exportadores, bem como o montante adquirido de máquinas e equipamentos no exterior, por tipo de máquina. É com base neste conjunto de informações que são feitas as análises da evolução e do desempenho do setor de móveis no Brasil e projeções futuras de crescimento.



Cândida Cervieri, diretora executiva da Abimóvel ressalta o quanto o estudo é importante para a indústria.



"Há cerca de três anos a entidade tem inserido mensalmente a pesquisa na área restrita do site da ABIMÓVEL, no qual só os associados e sindicatos do setor tinham acesso. Porém nos últimos meses vários veículos de comunicação, de entidades nacionais e estaduais, da sociedade civil e do terceiro setor tem consultado a nossa Associação a procura por dados e informações. Portanto, a partir de hoje a direção da ABIMÓVEL resolveu encaminhar mensalmente aos associados e colocar na área visível do site as informações para que todos, indistintamente, tenham acesso."

 



DESTAQUES DA CONJUNTURA DE MÓVEIS DE NOVEMBRO



A produção de móveis em volumes foi de 43,0 milhões de peças em setembro de 2020, recuo de 0,3% sobre o mês anterior. No acumulado no ano, observou-se queda de 8,4% na produção moveleira, enquanto no acumulado dos últimos 12 meses houve queda de 5,8%.



No mês de setembro, as exportações somaram US$ 60,4 milhões, queda de 0,2% em relação ao mês anterior, enquanto as importações apresentaram alta de 42,5%, atingindo US$ 17,8 milhões. O saldo da balança comercial no mês foi positivo em US$ 42,7 milhões.



Em outubro, as exportações somaram US$ 65,8 milhões, alta de 8,8% em relação ao mês anterior, enquanto as importações apresentaram aumento de 1,1%, ficando em aproximadamente US$ 18,0 milhões. O saldo da balança comercial no mês foi positivo em US$ 47,8 milhões.



O consumo aparente de móveis prontos e colchões foi de 41,0 milhões de peças em setembro de 2020. O que representa um aumento de 0,1% em relação ao mês anterior e queda de 11,7% no acumulado do ano – comparado com o mesmo período do ano anterior. Além disso, no acumulado dos últimos doze meses observou-se queda de 7,9%.



Em setembro de 2020, a participação dos móveis importados no Brasil sobre o consumo interno aparente foi de 2,8%. Já a participação dos móveis exportados sobre a produção ficou em 7,3%, resultado superior quando comparado com agosto de 2020, cuja participação havia sido de 7,0%.



As horas trabalhadas na produção pelos empregados da indústria moveleira aumentaram 7,9% em setembro de 2020. No acumulado no ano, comparado ao mesmo período do ano anterior, houve retração de 10,6%.



A indústria de transformação, como um todo, apresentou aumento de 2,2% na comparação mensal e queda de 7,0% no acumulado do ano, comparado com o mesmo período do ano anterior.





CLIQUE AQUI E ACESSE O ESTUDO


ibá - indústria brasileira de árvores
sebrae
sistema fiep
cni - confederação nacional da indústria
brasilian furniture
apexbrasil
ministérios das relações exteriores
pátria amada brasil