Inflação desacelera para 0,47% em maio, abaixo das projeções

IPCA ainda acumula alta de 11,73% em 12 meses, porém, diz IBGE

A inflação oficial do Brasil, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), desacelerou para 0,47% em maio, informou nesta quinta-feira (9) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A variação veio após três meses de altas superiores a 1% —avanços de 1,01% em fevereiro, 1,62% em março e 1,06% em abril.

O resultado de maio ficou abaixo das expectativas do mercado financeiro. Na mediana, analistas consultados pela agência Bloomberg projetavam variação de 0,6%.

Mesmo com o sinal de trégua, o IPCA segue em dois dígitos no acumulado de 12 meses. O avanço até maio foi de 11,73%. Nessa base de comparação, a alta havia sido de 12,13% até o mês anterior.

Para analistas, o novo resultado sinaliza que a inflação pode ter alcançado o pico anual em abril. Isso, porém, não elimina o cenário de preocupação com o IPCA. Pressões disseminadas sobre os preços ainda deixam analistas em alerta, já que dificultam a retomada do consumo no país.

“A leitura reforça nossa visão de que a inflação atingiu o pico, mas as medidas subjacentes permanecem bastante desfavoráveis”, afirma o economista Daniel Karp, do Santander Brasil.

“Apesar da surpresa positiva do IPCA de maio, ainda estamos falando de uma inflação com qualitativo muito ruim”, diz o economista Luis Menon, da gestora Garde. Oito dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados tiveram avanço de preços em maio.

 

( * ) Com informações da Folha de São Paulo

Compartilhe: