Governo anuncia pacote de R$ 150 bilhões para incentivar a economia, o consumo e a indústria nacional

O Governo Federal lançou no mês de março um pacote de medidas para estimular a economia e o consumo neste ano. Pela estimativa do governo, o conjunto de ações deve injetar mais de R$ 150 bilhões na economia brasileira.

Entre as diversas medidas, está a liberação de saque de até R$ 1 mil do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e a antecipação do 13º salário para aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). As medidas incluem ainda a autorização para beneficiários do Auxílio Brasil e do BPC (Benefício de Prestação Continuada) contratarem crédito consignado com desconto em folha.

A novidade já havia sido divulgada pelo governo no mês passado, junto ao anúncio da redução linear em 25% das alíquotas do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Com o IPI sobre móveis, incluindo também painéis de madeira e laminados, portanto, baixando para 3,75% (antes era 5%). Leia mais sobre o assunto: Medidas para reindustrialização: ministro da Economia anuncia corte de 25% no IPI e diz que estuda liberar saque do FGTS para quitação de dívida”.

A iniciativa foi definida pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, como “um marco na reindustrialização do País”, que, segundo ele, “sofre há décadas com tributação alta”. Todos os setores tributados com o imposto foram contemplados, inclusive o de bebidas e armas, tendo como única exceção o de cigarros. A redução já está valendo.

O pacote batizado de “Programa Renda e Oportunidade” é visto como uma tentativa de reanimar a economia e o consumo, num momento de desaceleração. O próprio Ministério da Economia reduziu a previsão de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) para 1,5% em 2022. Valor que apesar de baixo, é visto como “muito otimista” pelo mercado, que tem uma previsão inferior.

Compartilhe: