Falta e alto custo de insumos e matérias-primas ainda atrapalham a Indústria

A atividade industrial continuou aquecida, segundo a  CNI – Confederação Nacional da Indústria, com o indicador de evolução da produção apontando crescimento e alta utilização da capacidade instalada em junho de 2021. O indicador de número de empregados também já está há um ano sem apontar queda do emprego industrial. 

Contudo, os estoques caíram na passagem de junho para julho e o nível de estoques efetivo voltou a se afastar do desejado pelas empresas. Com essa combinação de atividade aquecida e estoques limitados, então, a falta ou o alto custo das matérias-primas continuou a ser o problema mais assinalado pelos industriais no segundo trimestre de 2021.  

O indicador de evolução de preço das matérias-primas, mesmo que mais brando do que em trimestres anteriores, de fato mostra aumento entre abril e junho. Ou seja, o índice caiu no trimestre, mas permanece bem acima dos 50 pontos e entre os maiores da série. 

Mesmo com a questão da matéria-prima ainda preocupando o empresário na indústria, no entanto, as expectativas, que já vinham positivas, continuaram melhorando. Todos os indicadores de expectativas cresceram em julho e permanecem acima da linha de 50 pontos e da média histórica, o que indica otimismo intenso e disseminado. Além disso, os indicadores de satisfação com a situação financeira também melhoraram no segundo trimestre de 2021, um excelente indicativo.

Acesse a Sondagem Industrial completa CLICANDO AQUI.

*Com informações da CNI

Compartilhe: