Exportações de móveis e colchões voltam a crescer em fevereiro: avanço nas negociações com o Chile ultrapassa 165% na comparação com 2020

As exportações brasileiras de móveis e colchões continuaram em ascensão em fevereiro de 2021. Após abrir o ano em ritmo positivo — reveja os resultados de janeiro clicando aqui —, as vendas internacionais do setor no segundo mês do ano foram 26,9% superiores às registradas em fevereiro de 2020, período ainda pré-pandemia. O resultado valida, mais uma vez, o movimento crescente das exportações brasileiras para importantes mercados internacionais. 

Dados do “Monitoramento das Exportações” — estudo mensal de inteligência comercial e competitiva do Projeto Brazilian Furniture, realizado pela ABIMÓVEL – Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário e a Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos —, traz o detalhamento das exportações, com destaque para os mercados-alvos do projeto.

 

Exportações por tipo de produto

A dinâmica das exportações por categoria, no entanto, foi bastante diferente da do mês anterior. Em fevereiro, o grande destaque ficou por conta dos colchões, crescimento de 63,4% na comparação com igual mês em 2020. A Bolívia, aliás, foi o principal destino dos colchões brasileiros no período, aumento de 76,3% na mesma comparação, seguida por outros países da América do Sul. 

Na sequência, por categoria, aparecem os móveis de madeira, com crescimento de 28,8% na comparação fevereiro 2020-2021, tendo como o principal destino os Estados Unidos, crescimento de 42,3%. Os estofados também apresentaram variação positiva, 13,6%. As exportações de móveis de metal, porém, recuaram 25,1% na variação mensal. Vale ressaltar que o segmento aço é um dos que mais vem sofrendo com a escassez e super precificação de matéria-prima nos últimos meses. A crise no abastecimento, aliás, está em pauta junto ao Ministério da Economia neste momento, leia mais sobre o tema clicando neste linkVER TABELAS ABAIXO.

 

Principais destinos dos móveis brasileiros em fevereiro de 2021: mercado chileno demonstra cada vez mais oportunidades

Ainda na comparação com igual período do ano anterior, os Estados Unidos continuam na liderança, como o principal mercado importador de móveis brasileiros: aumento de 34,2%. As exportações moveleiras para o Chile também crescem a ritmo acelerado: a variação foi de 165% em fevereiro. Com isso, o Chile assume a segunda posição entre os principais destinos dos móveis brasileiros, com o Reino Unido caindo para a terceira posição ao apresentar um recuo de 11%, após meses de instabilidade. Entre os cinco principais destinos, esta foi a única variação negativa no segundo mês do ano. VER TABELAS ABAIXO.

A evolução das negociações com o mercado chileno de fato demonstra um momento de novas oportunidades para o setor moveleiro nacional. Do montante de móveis e colchões exportados pela indústria brasileira no acumulado de todo o ano passado, o Chile teve participação de 10,4% no total. Mais uma vez ficando atrás apenas dos Estados Unidos. A proximidade e os acordos entre os dois países podem continuar favorecendo o cenário de evolução dos negócios, especialmente em face das diversas restrições de mobilidade impostas globalmente, além das questões cambiais. VER TABELAS ABAIXO.

 

Baixe o estudo completo: Monitoramento das Exportações de Móveis de Março com dados de Fevereiro/2021

Com a finalidade de auxiliar as empresas moveleiras no acompanhamento do seu desempenho individual no comércio exterior frente ao desempenho médio nacional, o conjunto de informações disponíveis no Monitoramento das Exportações de Móveis também possibilita identificar mercados potenciais e oportunidades de negócios em diferentes categorias. 

Se você é associado ao Brazilian Furniture, acesse o site com seu login e baixe o estudo completo: brazilianfurniture.org.br/intranet/.
 

MÓVEIS: O NOSSO NEGÓCIO!
Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário – ABIMÓVEL

Assessoria de Imprensa: Thaís Laurindo | press@abimovel.com | +55 14 99857-0108

Compartilhe: