Em quinta elevação consecutiva, Banco Central aumenta taxa básica de juros para 6,25% ao ano

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou pela quinta vez consecutiva a taxa básica de juros. A Selic passou de 5,25% para 6,25% ao ano. É o maior patamar desde julho de 2019 — ou seja, em pouco mais de dois anos.

Em nota, o Copom afirmou que “antevê outro ajuste da mesma magnitude” — isto é, de um ponto percentual — na taxa Selic a ser definido na próxima reunião, no final de outubro.

O Comitê também considera que o “risco fiscal” do País segue elevado e que dúvidas sobre a aprovação das reformas defendidas pelo governo podem levar a novas elevações da taxa Selic. “Questionamentos sobre a continuidade das reformas e alterações de caráter permanente no processo de ajuste das contas públicas podem elevar a taxa de juros estrutural da economia”, diz a nota.

Em pesquisa efetuada pelo BC na última semana com mais de cem instituições financeiras, analistas do mercado financeiro projetam que a taxa Selic continuará avançando nos próximos meses e deve fechar o ano de 2021 a 8,25%.

Com a decisão, o Brasil passou a Rússia, tendo agora o segundo maior juro do mundo, ficando atrás somente da Turquia, com juros reais de 3,34%, segundo o ranking da gestora de recursos Infinity Asset Management.

*Com informações do G1 Economia

Compartilhe: